Publicidade

Magazine Luiza

sábado, 17 de setembro de 2011

A Jornada com ou sem Cristo?







Em tempos não muito distantes existia uma sociedade que zelava pela moral, pela boa fé e pelos bons costumes.
Nesse período, havia ensinamentos acerca de Cristo e toda descoberta feita por cientistas e outros pesquisadores tinha como base a Bíblia. Se algo estivesse contrariando os escritos bíblicos, então, este era considerado errado.
Os que se diziam crentes teriam uma jornada bem dura, porém, prazerosa. Eles tinham convicção do Deus que serviam e da salvação de suas almas.
Aos poucos veio surgindo idéias que de alguma forma deixavam a Bíblia e seus princípios de lado. Muitos livros foram escritos de maneira que os padrões morais são exaltados. Passou a ser ensinado sem referências e de maneira incorreta.
É impossível falar de algo sem referências.
Por exemplo: Quando falamos uma frase de um livro, em seguida citamos o autor. Da mesma forma deveria ser quando falássemos acerca da moral, da boa fé e dos bons costumes.
É como dizer:
- Menino não roube.
O garoto vira e diz:
- Por quê?
E eu simplesmente responder:
- Porque é errado.
Quando na verdade, o correto seria dizer: - Jesus nos ensinou que é pecado roubar e etc. Assim estaríamos ensinando e citando a fonte.
A sociedade atual acredita que vai morar no céu só porque ajuda o próximo, não rouba, não mata. Que basta apenas seguir os bons costumes e ser um cidadão exemplar.
Precisamos trazer à memória alguns homens e mulheres que fizeram à diferença no seu tempo. Pessoas que usaram sim a ética, a moral, mas também dizendo que sem Cristo não somos nada. Que era necessário o arrependimento dos pecados para alcançar a salvação.
Homens como Estevão que deu a própria vida por amor a Cristo e mesmo sabendo que estava sendo injustiçado, não condenou seus opressores, antes os perdoou. Também podemos citar Paulo que vivia uma vida de religiosidade sincera, porém, errada. Teve primeiro que reconhecer que tudo era em vão se Cristo não fosse o centro de sua vida.
Dessa forma, podemos dizer que se Cristo não for a principal razão da nossa existência, se a moral for ensinada sem a autoridade e sem os princípios cristãos, de nada valerá. Teremos uma sociedade que futuramente estará dilacerada e sem salvação. Precisamos entender que nossa jornada deve ser com Cristo e fora dele é só perca de tempo e condenação.






Wanderson Sabino

Teologia Sem Mensalidade

Publicidade

Poderá gostar também de: